1. Home
  2. Financeiro
  3. O que é capacidade de pagamento e como calcular no seu negócio?

A rotina financeira de uma empresa envolve diversos pontos de atenção e um deles é a capacidade de pagamento do negócio. Inclusive, compreender como ela funciona é fundamental para garantir sustentabilidade à operação.

Esse é um indicador que auxilia o entendimento sobre o potencial da indústria em arcar com seus compromissos financeiros. Desse modo, saber como calculá-lo ajudará a melhorar a gestão financeira.

Quer saber o que é a capacidade de pagamento do seu negócio? Acompanhe a leitura deste artigo para saber como calcular essa métrica!

O que é capacidade de pagamento?

Seja um pequeno negócio ou uma grande indústria, toda empresa lida com compromissos financeiros. Afinal, é preciso arcar com pagamento de salários, custos operacionais, tributos e diversas outras obrigações.

Nesse sentido, para a empresa se manter em pleno funcionamento, é necessário estar em dia com as contas. Logo, a capacidade de pagamento representa um conjunto de indicadores financeiros que demonstram o potencial do seu negócio em arcar com essas responsabilidades.

Esses indicadores são chamados de índices de liquidez. No mercado financeiro e corporativo, a liquidez refere-se à velocidade com que um ativo pode ser transformado em dinheiro novamente. Nesse sentido, ativos de alta liquidez são aqueles cujo processo acontece de maneira ágil.

Quais são os tipos de liquidez financeira?

Agora que você entendeu mais sobre a capacidade de pagamento e a relação dela com a liquidez, é interessante saber quais são os tipos de liquidez. 

Confira quais são os principais e como calculá-los!

Liquidez imediata

A liquidez imediata é o indicador financeiro responsável por apresentar à empresa o potencial do seu caixa. Isto é, ela indica se o saldo atual seria suficiente para arcar com todos os seus compromissos financeiros atuais de curto prazo.

A fórmula é:

Liquidez imediata (LI) = Saldo disponível ÷ Passivo circulante

Os passivos circulantes representam os compromissos que devem ser quitados dentro de 1 ano. Então imagine uma empresa com R$ 50 mil de saldo disponíveis e R$ 80 mil em passivos circulantes.

No exemplo, a divisão resulta em 0,625. Multiplicando por 100, você verá que a liquidez imediata da organização é de 62,5%. Ou seja, esse é o percentual que ela tem disponível para arcar com seus compromissos que devem ser quitados dentro de até 12 meses.

Liquidez corrente

A liquidez corrente, por sua vez, demonstra se a empresa poderá arcar com seus passivos circulantes apenas com seus ativos circulantes. O cálculo é feito da seguinte forma:

Liquidez corrente = Ativo circulante ÷ Passivo circulante

Vale a pena destacar que ativos circulantes são bens e direitos que podem ser convertidos em dinheiro dentro de até 12 meses.

Eles englobam elementos como as contas a receber, o saldo disponível, o estoque da empresa e outros investimentos de curto prazo. A lógica da equação segue a mesma linha da liquidez imediata. Logo, quanto mais alto for o número, melhor é a capacidade de pagamento da empresa.

Liquidez seca

A liquidez seca é outro indicador usado para medir a capacidade de pagamento da organização. Inclusive, ela é similar à liquidez corrente, mas desconsidera o estoque da empresa. O conhecimento é relevante para indicar se o negócio depende do seu estoque para arcar com os compromissos assumidos.

Veja a fórmula aplicada para identificar esse indicador:

Liquidez seca = (Ativo circulante – Estoques – Despesas antecipadas) ÷ Passivo circulante

Como você pode perceber, o cálculo envolve mais elementos que a liquidez corrente. Portanto, a liquidez seca sempre indicará um número menor — visto que o cálculo é mais criterioso.

Liquidez geral

Por último, a liquidez geral, como o próprio nome adianta, serve para demonstrar a capacidade de pagamento da empresa para todos os seus compromissos financeiros — independentemente do prazo.

Por esse motivo, a fórmula usada para o cálculo envolve mais elementos:

Liquidez geral = (Ativo circulante + Realizável a longo prazo) / (Passivo circulante + Passivo não circulante)

Pode ser interessante acompanhar essa liquidez regularmente e usar os dados para fazer comparativos sobre o histórico financeiro. Dessa maneira, será possível perceber se a empresa está ganhando ou perdendo capacidade de pagamento.

Como melhorar a capacidade de pagamento da indústria?

Até aqui, você já entendeu o que é a capacidade de pagamento e viu como calcular os principais indicadores de liquidez da empresa. Então vale a pena saber quais são as práticas que podem melhorá-los.

Confira!

Monitore entradas e saídas de dinheiro do caixa

O primeiro passo para melhorar a capacidade de pagamento da empresa é manter registro de todas as entradas e saídas. Esse acompanhamento próximo e constante será fundamental para minimizar os riscos da operação.

Vale a pena destacar que erros no fluxo de caixa podem afetar o negócio, visto que será mais desafiador visualizar sua saúde financeira de maneira correta. Com isso, a sustentabilidade da operação fica prejudicada.

Então é fundamental ter um controle detalhado, com todos os dados financeiros. Para tanto, considere contar com softwares especializados no processo — visando melhorar a produtividade e diminuir erros.

Negocie dívidas com fornecedores

Após criar uma lógica para acompanhar o fluxo de caixa, negocie condições de pagamento com os fornecedores. Como você percebeu, muitos dos indicadores de liquidez consideram os passivos circulantes.

Nesse sentido, se a capacidade de pagamento da empresa estiver baixa, é possível dialogar sobre novos prazos e demais aspectos do contrato. Essas mudanças podem ser positivas para garantir tempo para a empresa se reorganizar financeiramente.

Diminua a inadimplência dos clientes

Por fim, é válido adotar estratégias focadas na redução da inadimplência dos clientes. Isso porque atrasos no pagamento de contas e eventuais calotes podem prejudicar significativamente a liquidez da empresa.

Uma dica para trabalhar essa questão é priorizar recebimentos de pagamentos à vista — oferecendo condições especiais nesses casos. Ademais, vale a pena recorrer a soluções financeiras específicas, como a Trademaster.

Dessa forma, é possível aproveitar uma tecnologia que faz a análise dos clientes tanto pela ótica do risco quanto pela continuidade do relacionamento. A partir disso, cada cliente distribuidor ou varejista tem um limite para realizar compras na sua empresa.

Após o pedido ser aprovado, a sua indústria já recebe os valores, conforme as condições acordadas. Já a Trademaster cobra o cliente e recebe dele. Assim, o seu negócio lida com inadimplência zero e equilibra melhor os recursos, aumentando a capacidade de cumprir obrigações financeiras.

Neste artigo, você entendeu o que é a capacidade de pagamento e a importância do conceito para a saúde financeira da indústria. Então vale a pena acompanhar os indicadores de liquidez da organização para assegurar que a operação se mantenha sustentável.

Quer compreender como alavancar as vendas da indústria? Entenda como a Trademaster pode ajudar!

Notícias recentes